D6
c. 1850
Fazendas Monte Alegre, Cap„o Bonito e TrÍs Pontes
 

Inventário do Capitão José Gomes Pinheiro Vellozo. 1850.

Vide Fórum de Itapetininga - 2º Ofício - Arquivo 01 - Maço 16 - Processo 115/1850 - Ano de 1850


    Assentada
   Aos dezoito e vinte dias do mez de Setembro de mil oito centos e cincoenta annos nesta Freguesia de Sima da Serra de Botucatu Termo da Villa de Itapetininga, na Fasenda denominada Mont`Alegre onde foi vindo o Juiz d‘Orphans Suplente etc... A assentada em Itapetininga foi feita em 16/10/1850.

Bens Móveis - Em Botucatu, na Fazenda Monte Alegre






   Raiz
   1 - Huma Fazenda de criar, denominada Mont’ Alegre, com Mattas de cultura, com uma pequena casa meio assobradada, casa paiol coberta de telhas, Senzallas de Capim, Mangueiras, Monjolo, sendo a mesma Fazenda confrontada pela forma seguinte
   - Principiando no Posso da Estrada velha do Goatemim, no Rio pardo, Rio assima, até Ribeirão denominado Faxinal, por este assima té dar na picada que vem da Caxoeira, seguindo por esta adiante té o Rio da prata, por este abaixo té o Rio Claro, por este abaixo té os fundos dos Campos do Atterradinho, a devisar com a Fazenda do Rio Claro, por um restingão de Matto, por este assima a procurar as Cabeceiras do Ribeirão Tres Pontes, e dahi cortar em linha recta, a procurar a cerca que divide o Campo do Atterradinho e três pontes, por esta cerca abaixo té onde ella se acaba que he o Capão denominado Vira Machado, d’onde nasse uma vertente, e por esta abaixo té o Ribeirão que passa na entrada da invernada do atterradinho, por este abaixo té sua foz no Rio pardo, e por este assima até o dicto posso ao principio declarado, qual Fazenda havida por compra feita ao falecido Sargento mor João Pires, e regulla do Rio pardo ao Rio Claro quatro legoas mais ou menos, e de atravessado duas légoas mais ou menos, sendo tudo, entre Campos e Mattos, e que tudo foi visto, corrido, examinado e avaliado na somma e quantia de vinte seis contos de reis.
Vide Mapa D6-1.

26:000$000

   2 - A Fazenda denominada Tres pontes de que está de posse o herdeiro Matheus Gomes Pinheiro Machado, na forma de Doação e verba testamentaria, abaixo da Fasenda assima, que comprehende Campos e Mattos e se limita pela forma seguinte:
  - Principiando donde fas Barra no Rio pardo o Ribeirão que corta e divide o Campo do Atterradinho, pelo Rio pardo abaixo, té a barra do Ribeirão Tres pontes, e por este assima té sua cabeceira, dahi segue a divisa que se deo a Fasenda do Monte Alegre té o mesmo Rio pardo, e que terá de comprimento légoa e meia mais ou menos, e tres quartos de largura mais ou menos, havida da mesma forma que a Fazenda Monte Alegre, tudo visto, corrido, examinado e avaliado pela quantia de sette contos de reis.
Vide Mapa D6-1.

7:000$000

   3 - Huma Posse cultivada de terras de cultura em baixo da Serra, no lugar denominado Ribeirão grande, na estrada velha, que regulla mais ou menos meia legoa de fundo e um quarto de testada, que parte com Rafael Franco e José Manoel havida por posses, e compra feita á um Fulano Moreirinha, avaliada por quinhentos 500 mil reis.

500$000

   ............
   Principiando na Estrada velha e no poço do Ribeirão grande, por este assima té o Tombador da Serra e segue indo por este Tombador a diante té a dita Estrada Velha, e por esta adiante té o dito posso do Ribeirão grande

   4 - Acharão êles Juiz de Órfãos e Partidores, importarem as disposições testamentárias, incluírem a esta, o terreno onde esta edificada a Freguesia de Santa Anna de Botucatu, doado pelo inventariado, a quantia de hum conto e quarenta mil réis.

1:040$000

   5 - Humas moradas de casa d´Taipas, nesta Villa (Itapetininga), no Patio Novo do Rosário, fazendo frente para a Rua do Comércio etc..., que tudo foi visto e avaliado, pela quantia de hum conto de réis.

1:000$000

   6 - Hum Potreiro no Subúrbio desta Villa (Itapetininga), na Estrada que segue para Campo Largo, etc..., visto e avaliado pela quantia de cento e cincoenta mil réis.

150$000

   7 - Huma morada de casas de sobrado na cidade de São Paulo avaliada no vallor de dois contos de réis.

2:000$000

   Valor total dos bens de Raiz - 29:850$000, sendo 29:650$000 para Partilha e 200$000 o valor atribuído para pagamento de Décima (20$000) do Terreno (aproximadamente 120 alqueires) doado ao Patrimônio de Sant´Anna, embora as disposições testamentárias atribuissem o valor de 1:040$000 para êste terreno. Vide ítem 4.



   Algumas considerações sobre o inventário do Capitão, quanto a bens localizados em terras botucatuenses, 1850.

   Fazenda Monte Alegre. Vide Mapa D6-2.

Uma pequena casa, meio assobradada.
Casa paiol, coberta de telhas.
Senzalas, cobertas de capim (possivelmente o sapé).
Mangueiras (mangueirões, currais).
Monjolo. Era uma fazenda de criar, mas com matas de cultura.
Avaliada em 26:000$000 (vinte e seis contos de réis).

Escravos.

Africanos: Thomaz (45 anos), casado
                Lorenço (40), casado
                Bento (40), solteiro
                Belmiro (35), casado, oficial de casa
                Catharina (34), viúva
                Antonio (50), casado, parcialmente forra
                Joanna (50), casada, parcialmente forra Maria (40), casada

Brasileiros: Ignacio (45), solteiro
                 Agostinho (16), solteiro
                 Manoel (16), solteiro
                 Manoel Mandury (15), solteiro
                 Scipião (7)
                 Martinho (5)
                 João (3)
                 Leandro (2)
                 Clara (fula) (3)

Criação.
Subtotal
Total
34 bestas    
2 burros
36 muares
 
27 cavalos    
44 potros    
162 éguas
233 cavalares
269 muares e cavalares
9 bois carreiros    
100 novilhas    
706 reses
816 bovinos
816 bovinos
1 vaca
Total
1085

 

   Scipião, Martinho, João, Leandro e Clara, de idades entre 2 e 7 anos (1843 a 1848), possìvelmente nasceram na própria Fazenda Monte Alegre.

   Agostinho, Manoel e Manoel Mandury, de idades entre 15 e 16 a nos (1834 e 1835), também podem ter aí nascido.

   Ignacio, de 45 anos (1805), se aí nasceu, foi antes de o capitão adquirir essa fazenda.

   Os outros escravos são africanos.

   Teríamos 6 escravos adultos (só um brasileiro) e 3 adultas, todas africanas. 3 escravos adolescentes (brasileiros) e 5 crianças.

   Um escravo era oficial de casa, isto é, não trabalhava na lida ou na roça.

   Com 269 muares e cavalares, e 816 bovinos, notamos que devia haver muitos outros empregados na fazenda, mas não escravos.

   Cumpre notar que alguns escravos deviam trabalhar nas outras duas fazendas do capitão, a Três Pontes e a do Ribeirão Grande, constantes de seu inventário, e também localizadas em terras botucatuenses.

   Documentos do Fórum de ltapetininga Copias feitas por Paulo Pinheiro Machado Ciaccia e Cesar José Maria Ribeiro em 9/11/2001.

1 - A Fazenda Monte Alegre foi vendida pela Família Pinheiro Machado através do Coronel Jorge Gomes Pinheiro Machado e sua mulher Maria Manuela Pinheiro Machado, para Zerrener, Bulow & Companhia através da Transcrição nº8176 de 26/06/1914, livro 3, letra J, Fl. 23 do Registro de Imóveis - 2ª Circunscrição de Botucatu.
2 - Em 30/04/1915 foi constituída a Companhia Cafeeira de São Paulo - livro 110, Fls. 46v - 4º Tabelionato de Notas - São Paulo e conforme Transcrição 8402 no 2º Registro de Imóveis da Comarca de Botucatu.
3 - Em 20/09/1961, a Companhia Cafeeira de São Paulo vende a José Augusto Rodrigues conforme Escritura de Venda e Compra, livro 444 Fls. 29v - 23º Tabelionato de Notas - São Paulo e conforme compromisso de venda e compra celebrado entre as partes conforme escritura, lavrada nas notas do 12º Tabelião de São Paulo, em 08/03/1954, livro 472 Fls. 11v e inscrita sob nº 961 no 1º Registro de Imóveis da Comarca de Botucatu.
4 - Em 17/06/1964, José Augusto Rodrigues e sua mulher Delminda Nogueira Rodrigues, vende a SCABB - Sociedade Cooperativa Agro-Pecuária Belgo Brasileira, conforme Escritura de venda e compra - livro 187, págs. 037 a 043, do 1º Cartório de Notas de Botucatu.

Resumo - 1808 a 1850 - Vide Mapa D6-3

1808/1821. “Repertório das Sesmarias”. Secretaria do Estado da Cultura.
São Paulo. 1994. Páginas 300 e 301 : José Gomes Pinheiro.

1- Fazenda de criar, comprada de João Pires de Almeida Taques, por José Gomes Pinheiro. Depois denominada Monte Alegre. A leste dos campos pretendidos por título de sesmaria.
2 - Restinga de mato grosso, que divide os dois campos (1 e 5). Acompanha o atual Córrego do Saltinho. A sudoeste, na descrição da sesmaria.
3- Rio Claro. Por este rio acima.
4- Serra do Padre Costa (“incerta sedes’). Até esta serra.
5- Campo pretendido por título de sesmaria.

12/06/1840. Felisberto Antonio Machado pede à Assembléia Legislativa Provincial a criação de uma freguesia no Capão Bonito, onde constrói uma capela, junto ao ribeirão Cachoeira (atual Córrego das Cascatas ou Cachoeirinha).
6- Ribeirão Cachoeira. Afluente de margem esquerda do atual Lavapés.
7 . Capela (“incerta sedes”).

23/12/1843. Escritura de doação de terras para o patrimônio de Santana, feita por José Gomes Pinheiro.
8 . Área doada. Ver mapa anterior, mais detalhado.
9- Rio dos Costas (depois Rio do Patrimônio, atual Lavapés).

10.03.1845. José Gomes Pinheiro vende a Antonio Moreira Nene terras que comprara de Anna da Rocha de Oliveira.
10- Terras vendidas.
11- Rio Pardo.
12- Rio das Pedras.
13- Rio Novo.

20.12.1845. Flávia Domitila Monteiro vende terras do Campo do Turvo a Silvério Gomes dos Reis.
14. Campo do Turvo.
15. Ribeirão Turvinho.
15a. Córrego Pulador.

01/12/1846- José Gomes Pinheiro vende a Francisco de Assis Nogueira a Fazenda das Pedras, que comprara de Anna de Píza, e a Fazenda do Capão Bonito, desmembramento da Fazenda Monte Alegre.
16- Fazenda das Pedras.
17- Ribeirão Três Pontes (atual Palmital).
18.- Linha que vai da barra do Três Pontes, no Pardo, até o Tombo da Serra, atravessando o Rio Novo.
19- Tombo da Serra.
20.- Ribeirão Cachoeira (afluente de margem direita do Pardo; atual Serra d´Água).
21- Potreiro da Cerca.
22- Potreiro do Faxinal.
23- Ribeirão Faxinal.
24- Terras de João Teixeira Nepomuceno.
25- Terras de José Correa.
26- Divisas da Fazenda Capão Bonito
27- Terras de José Antonio Pereira, vendidas pelo capitão José Gomes Pinheiro e Anna Florisbella Machado de Oliveira.

1850. Inventario de José Gomes Pinheiro, incluindo as Fazendas Monte Alegre e
Três Pontes
.
28- Picada que vem do Cachoeira (afluente do Pardo; atual Serra d’ Água).
29- Serro do Capão Bonito (atual Morro de Rubião).
30- Fazenda do Capão Bonito, desmembrada da Monte Alegre.
31- Campos do Aterradinho.
32- Fazenda Rio Claro.
33- Fazenda Três Pontes, doada ao filho Matheus Gomes Dinheiro Machado, antes obtida por titulo de sesmaria.
34- Cabeceiras do Ribeirão Três Pontes (atual Palmital).
35- Restingão de mato (atual Córrego Floresta).
36- Capão Vira- Machado.
37- Rio da Prata.

Referências atuais, para melhor orientação do leitor.
38- Botucatu, zona urbana.
39- Pratânia.
40- Lobo.
41- SP- 255, Rodovia João Mellão.

   O documento de 1840 (Felisberto Antonio Machado) foi encontrado por Dom Vicente Marchetti Zioni, arcebispo emérito de Botucatu, e gentilmente cedido ao Centro Cultural de Botucatu, para reprografia.

   Os documentos de 1846 e 1850, cujos originais se encontram no Fórum de Itapetininga (Ação de Manutenção de 1846 e Inventário do Capitão José Gomes Pinheiro de 1850) e 1º Tabelião de Notas de Itapetininga- Tabelião José Cauchioli (Escritura de compra e venda de 1845 e 1846) foram reprografados pelos pesquisadores Paulo Pinheiro Machado Cíaccia e Cesar José Maria Ribeiro, que também gentilmente cederam cópias ao Centro Cultural de Botucatu.